quinta-feira, 11 de outubro de 2012

QUEM DERA QUE FÔSSEMOS SANTOS!


“Quem dera fossem firmados os meus caminhos na obediência aos teus decretos”.
Salmos 119.5 [ARF]

“Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus. Mas vejo nos meus membros outra lei que batalha contra a lei do meu entendimento e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”
Romanos 7. 22-24 [AC]

Nós falhamos. Aliás, nós vivemos a falhar. O pecado, infelizmente, sempre está em nossa porta. Muitas vezes, o nosso desejo é ser diferente, mas simplesmente não conseguimos, "pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo", como disse o apóstolo Paulo [Romanos 7.19]. Acordamos de um pecado dizendo: “Agora acabou, tudo irá mudar a partir de hoje”. Mas o amanhã se torna ontem.

Se desejamos Deus, sabemos ao mesmo tempo que não conseguimos achar forças em nós para encontrá-lo. Dependemos que Ele nos encontre, pois simplesmente precisamos dEle. Somos dependentes de Sua inteira misericórdia. O grande problema é que buscamos a solução dos nossos pecados em nossa própria força e acreditamos que temos virtudes para derrotá-lo. A fé em si é vã como o vazio de um som em deserto. No dia em que nós nos entregarmos à graça de Deus para viver em santidade poderemos vencer o pecado como quem ganhar com um exército poderoso.

Sabemos que há um padrão elevado, ou seja, há um viver conforme os estatutos de Deus. Igualmente sabemos que estamos distantes dessa beleza. Desejamos que o Senhor nos transforme, pois a transformação não pode ser gerada em nossa própria capacidade. Só que esquecemos de clamar pela transformação efetuada por Ele. A nossa capacidade é simplesmente incapaz. Portanto, que a nossa oração ao Senhor seja: " Ó Deus, cria em mim um coração puro e dá-me uma vontade nova e firme!" [Salmos 51.10 NTLH]

O nosso desejo é o pecado. Não há mérito “pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” [Romanos 3.23]. O nosso prazer é a satisfação da carne. Adoramos elogios e buscamos glória como quem corre atrás de uma mãe amorosa. Somos constantemente lembrados pelo nosso ego sobre a "especialidade" do nosso ser e que o “centro do universo” está em torno do nosso "eu". Assim, ao mesmo tempo, somos “vítimas” daqueles que julgamos “incapazes” de compreenderem a gritante vaidade que habita em nós. E pior, muitas vezes, a nossa vaidade veste a capa da autopiedade e deseja ocultamente que os outros “sintam pena” de nós.

Apesar disso, rejeitamos com veemência a vaidade do "outro". Ora, o orgulho alheio é insuportável e fácil de ser identificado. Mas o “meu” próprio pecado se esconde como criança debaixo da cama.

Como somos arrogantes quando buscamos santidade em nós mesmos! Estamos dizendo que temos forças para derrotar a carne, o mundo e o diabo. Agimos como um soldado suicida que, imbuído de uma honra irresponsável e irracional, sai à guerra sem a ordem e o apoio do comandante. Assim, pensamos que o nosso “ato de coragem” nos salvará, mas simplesmente somos tragados com a nossa vaidade. Morremos acreditando em nós mesmos. Nada mais enganoso do que a idolatria do eu. Esse ídolo é tão fraco, mas igualmente cego para enxergar os seus próprios limites.

Quem dera! Assim exclama o salmista. Sim, quem dera que fôssemos santos. Quem dera que fôssemos a imitação de Cristo. Ao mesmo tempo podemos basear a nossa fé na graça divina para providenciar a santidade aos nossos corações.

Oração

Senhor, faça-me santo. Eu simplesmente não consigo vencer o meu próprio pecado e, muito menos, alcançar pelos meus caminhos os seus elevados mandamentos. Senhor, faça-me santo. Faça-me um seguidor dos teus mandamentos. Faça-me como quem segue o Senhor com um amor que pulsa paixão. Senhor, dai-me a graça da santidade. Reconheço que sou incapaz de viver em pureza. Livra-me da autopiedade. Livra-me da arrogância e da vaidade. Faça-me filho Teu. Encha o meu coração de santidade e prazer em Ti. Senhor, seja tão grande no meu coração para que o “meu eu” seja sufocado.

Nenhum comentário: