domingo, 19 de fevereiro de 2012

Os evangélicos são "conservadores que têm uma visão do mundo controlada por pastores de televisão”!

Por Gutierres Fernades Siqueira (Blog Teologia Pentecostal)

O secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, disse a frase acima em um fórum social realizado em Porto Alegre. E ainda afirmou que os evangélicos possuem uma “hegemonia” junto à nova classe média e insinuou que os esquerdistas precisam enfrentar essa dominação.

A expressão do ministro é preconceituosa. Em primeiro lugar, os evangélicos nunca podem ser generalizados. Um evangélico neopentecostal supersticioso não é o mesmo que um jovem entusiasta do cristianismo clássico. Ambos são tidos como evangélicos, mas os dois apresentam uma “visão de mundo” totalmente diferente. Em segundo lugar, os evangélicos como “controlados” por pastores de TV mostra outra vez a visão preconceituosa do ministro. Ele está literalmente dizendo que os evangélicos são manipulados.

Manipulados?

Como essas pessoas não conhecem os evangélicos. Eu congrego em uma igreja pentecostal e vejo que o líder da minha igreja tem inúmeras opiniões que são contrárias a minha. Ele é o meu líder, mas nem por isso eu aceito tudo que ouço daquele púlpito. E digo mais: vejo o mesmo com os demais membros da igreja. Ninguém aceita o que houve acriticamente. Nem o que o pastor fala ou qualquer outro que tome o microfone para defender uma ideia.

Eu sou professor de Escola Dominical, ou seja, teoricamente um líder que “manipula” os “crentes idiotas” (no subconsciente do ministro). Ora, ora. Quantas vezes eu já dei aulas onde o debate rolou solto. Alunos que contestaram minhas ideias e outros que simplesmente diziam pensar o contrário. E eu estou falando que congrego e ensino em uma igreja pentecostal.

Sim, há algumas pessoas que são de fato crédulas, ou seja, aceitam qualquer coisa que você fala. Mas é uma “pequena minoria”. Eu, particularmente, alerto sempre na escola que uma postura acrítica deve ser evitada ao máximo.

Outro exemplo é este blog e a blogosfera evangélica como um todo. Quantos dos meus leitores assíduos já escreveram comentários discordando de alguns conceitos defendidos por mim? Vários e alguns com muito entusiasmo [risos].

Quantas vezes eu já vi murmurações quando alguém usa o púlpito para fazer política partidária ou eclesiástica. Povo manipulado? Bom, os preconceituosos podem achar qualquer coisa.

O “espírito protestante” é diverso em si e evita uniformização. Graças a Deus.

Conclusão
Os evangélicos possuem inúmeros defeitos e a Igreja Evangélica Brasileira está longe de ser uma referência positiva, mas a acusação de manipulação é injusta e preconceituosa. É preocupante que o representante de um partido que esteja no poder veja o Movimento Evangélico como algo “manipulador” que precisa ser combatido pelos militantes. A nossa liberdade religiosa é um bem precioso e nenhuma vigilância será à toa.