quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

A ORAÇÃO SIMPLES

Não existe oração errada. Aliás, a oração errada é aquela que não é feita. A Bíblia Sagrada ensina que se deve orar a respeito de tudo. Orar por qualquer motivo, qualquer hora, qualquer lugar, sempre que o coração não estiver em paz. Tão logo o coração experimente apreensão, preocupação, medo, angústia, enfim, seja perturbado por alguma coisa, a ação imediata de quem confia em Deus é a oração.

O apóstolo Paulo diz que não precisamos andar ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, com ação de graças, devemos apresentar nossos pedidos a Deus, tendo nas mãos a promessa de que a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará nossos sentimentos e pensamentos em Cristo Jesus (Filipenses 4.6,7). A expressão “coisa alguma” inclui desde uma vaga no estacionamento do shopping center até o fechamento de um negócio, o desejo de que não chova no dia da festa até a enfermidade de uma pessoa querida.

Esta experiência de oração é chamada de oração simples: orar sem censura filosófica ou teológica, orar sem se perguntar “é legítimo pedir isso a Deus?” ou “será que Deus se envolve nesse tipo de coisa?”. Simplesmente orar.

A garantia que temos quando oramos assim é a paz de Deus em nossos corações e mentes. A Bíblia não garante que Deus atenderá nossos pedidos exatamente como foram feitos: pode ser que a vaga no estacionamento não seja encontrada e que chova no dia da festa. A oração não se presta a fazer Deus trabalhar para nós, atendendo nossos caprichos e provendo o nosso conforto. Já que a causa da oração simples é a ansiedade, a resposta de Deus é a paz. O resultado da oração não é necessariamente a mudança da realidade a respeito da qual se ora, mas a mudança da pessoa que ora. A mudança da situação a respeito da qual se ora é uma possibilidade, a mudança do coração e da mente da pessoa que ora é uma realidade. Deus não prometeu dizer sim a todos os nossos pedidos, mas nos garantiu dar paz e nos conduzir à serenidade. Não prometeu nos livrar do vale da sombra da morte, mas nos garantiu que estaria lá conosco e nos conduziria em segurança através dele.

O maior fruto da oração não é o atendimento do pedido ou da súplica, mas a maturidade crescente da pessoa que ora. Na verdade, a estatura espiritual de uma pessoa pode ser medida pelo conteúdo de suas orações. Assim como sabemos se nossos filhos estão crescendo observando o que nos pedem e o que esperam de nós, podemos avaliar nosso próprio crescimento espiritual através de nossos pedidos e súplicas a Deus. As orações revelam o que realmente ocupa nossos corações, o que realmente é objeto dos nossos desejos, o que nos amedronta, nos desestabiliza e nos rouba a paz.

O apóstolo Paulo diz que quando era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Mas quando se tornou homem, deixou para trás as coisas de menino (1Coríntios 13.11). Não existe oração certa e errada. Mas existe oração de menino e oração de homem. Oração de menina e oração de mulher. A diferença está no coração: coração de menino e de menina, ora como menino e menina. A nossa certeza é que Deus também gosta de crianças.


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

VEJA AÍ OS TIPOS DE CRENTE



Será que você se identifica com algum desses?

Crente Tipo...
Elevador -
Esta sempre subindo e descendo na vida espiritual;
Leão -
Não se meta com ele, pois ele é o rei da igreja;
Crente Cestão -
Cês tão orando por mim?
Crente "3s"-
Salvo, sentado e sossegado;
Praia De Mar -
Cheio de onda;
Total Flex -
Ao mesmo tempo e no mesmo lugar anda tanto na carne quanto no espírito;
Linha Direta - Só tragédia.
Seis e Meia -
Sempre para baixo.
Crente Mâe do Kiko -
Não se mistura com "gentalha".
Karatê -
Só dá valor se o cara ter bens.
Sonrisal -
Na igreja derrete todo, mas em casa...hummm;
Crente Pão de Fôrma -
Miolo mole, casca grossa, chato e quadrado;
Aeroporto Congonhas -
Deslizar é com ele mesmo.
Piranha -
É só ver alguém arranhado (ferido) que já ataca.
Crente Escoteiro -
Só vai em acampamento.
Crente Machado -
Qualquer idéia ele já corta.
Crente Cabelereiro -
Trabalha só pra fazer a cabeça dos outros...
Noé -
Nunca as coisas são com ele, "Noé comigo irmão".
Crente Carrapato -
Vive colado nos outros...
Crente Piolho -
Anda pela cabeça dos outros...
Crente Chiclé -
Mastiga a Palavra, mas não engole...
Crente Girafa -
O corpo está na igreja, mas a cabeça está lá fora.
Crente Gatinho -
Só estão contentes e animados na vida e na igreja quando mimados;
Pastel De Feira -
Muita aparência, mas logo o que se nota é só vapor;
Cometa Halley -
Até Que Vem Na Igreja, Mas Só Depois De Uma Longa Volta Cósmica Pelo Universo De Greiscou.
Self Serve -
Quer O Culto Segundo Suas Preferências;
Ronaldo Ésper -
Só Dá Alfinetada;
Pelicano -
Só Tem Papo.
Crente Temporada -
Um Mês Na Igreja Outro Nada.
Dvd -
Deita Vira E Dorme No Culto
Glacê -
Só Atua Se Estiver Por Cima.
Bolsa De Valores -
Um Dia Está Em Alta Outro Dia Em Baixa.
Açucar -
Se Tiver Que Se Sair Com Chuva À Igreja, Acredita Que Vai Derreter.
Agente Secreto -
Cheio De Mistério. Da Língua Aos Pés É Estranho De Ver E Sentir.
Bule -
De "Pó Café" (Pouca Fé).
Celular Pré Pago -
Quando Se Precisa Dele Não Tem Crédito Ou Está Fora De Área.
Celular -
Dependendo Do Lugar Não Dá Sinal De Crente.
Dom De Canto -
Fica Lá No Canto Da Igreja Encostado E Não Quer Saber De Trabalhar!
Florzinha De Jesus -
Qualquer Coisa, Sai Da Igreja Com Biquinho De Coitadinho.
Kodak -
Só Revela E Não Percebe Que É Revelado.
Manteiga -
Vive Se Derretendo Por Qualquer Pão Velho.
Nostradamus -
Cheio De Visões, Visagens E Miragens.
Papagaio -
Vive Repetindo Tudo Aquilo Que Falam Sem Examinar As Escrituras.
Peter Pan -
Não Quer Crescer. Tá Sempre No Be-A-Ba E Ainda Critica Quem Cresce.
Relicário -
Vive De Coisas Do Passado.
Talento -
Tão Cheio De Lentidão.
Taxi -
Até que leva a cruz do próximo, mas com o taxímetro ligado. Fica caro.
Urso -
No inverno, fica hibernando.
O Crente Caneta -
So vive na mão dos outros e dificiomente está na mão do dono.

E você, qual tipo de crente você é?

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

JOSÍAS, UM REI EXEMPLAR

Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar e reinou trinta e um anos em Jerusalém; e era o nome de sua mãe, Jedida, filha de Adaias, de Boscate”. 2 REIS 22:1. E fez o que era reto aos olhos do Senhor. O reino de Judá foi abençoado com sua última grande reforma religiosa, pois Josias foi temente a Deus, e foi com grande ajuda do Sacerdote Hilquias, Pai do profeta Jeremias, que Josias fez grande reforma no sistema Judaico.

O nome Josías significa "Curado por Jeová" ou "O Senhor o Sustenta".

Josías, Rei de Judá

Josias, foi o rei de Judá no período de 640 a 609 a.c (2 Rs. 22 e 23; 2 Cr. 34 e 35) seu avô, o perverso rei Manassés, reinará por 55 anos; perseguiu as pessoas piedosas e reprimiu a verdadeira religião em Judá; seu Pai, Amom, governou apenas 2 anos (2 Rs. 21.19-26; 2 Cr. 33.21-25) e deu continuidade às práticas malignas de Manassés; seu reinado foi interrompido por intrigas na corte que culminaram com seu assassinato (2 Rs. 21:24). Nessa época difícil, Josias chegou ao trono, com apenas 8 anos de idade. Vale a pena lembrar que, o nascimento de Josias e o que ele faria, foi profetizado por um profeta, homem de Deus, que foi enviado de Judá à Betel, 300 anos antes (veja 1 Rs. 13:1 e 2; 2 Rs. 23:15-20).

Quando Josias chegou à idade adulta, reagiu às condições pecaminosas que havia em seus dias com a idade de dezesseis anos eles já buscava fervorosamente a Deus. Ao invés de amoldar-se ás práticas idolatras. Em quatro anos sua devoção a Deus se cristalizara a um ponto em que ele deu início à reforma religiosa (628 a.c).

Josias foi grandemente quebrantado a reformar a religião Israelita de quando foi achado o livro da lei dos Judeus por Hilquias o sacerdote. (2 Rs. 22:8-13). Pois o livro foi levado a Josias, por Safã o escriba; Quão grande foi à emoção do Rei Josias ao qual depois de ouvir, rasgou as suas vestes, sinal este que era para mostrar arrependimento dos pecados diante do Senhor.

Por sua piedade, Josias tinha 26 anos de idade. (622 a.c). Quando levou a cabo, a purificação da terra de Israel por meio da restauração do templo. E colocou esta restauração sob a direção de Safã, Maaséias, Joá e Hilquias, o Sumo Sacerdote.

Flávio Josefo destaca da seguinte maneira cada um deles:

Maaséias ou Amaza- era governador de Jerusalém;
Safã- era secretário;
Joá ou Joatão- era intendente dos registros reais e sacerdotais;
E Hilquias- era grão-sacrificador, ou seja, sumo sacerdote.

Nos dias de Josias havia uma grande Profetiza chamada Hulda, Josias sabia de seu ministério e enviou o sumo sacerdote- Hilquias, Safã e outros, para receber por ele, o que ela tinha a dizer ao Rei.

Grande e forte foram as suas palavras, por causa do pecado de Israel, e sua idolatria a outros Deuses, Deus traria desolação a Israel.
Mas que Josias por ser temente a Deus, o traria Paz e Descanso e Josias morreria em Paz, e não veria a desolação de Israel. (2 Rs. 22:14-20).
Josias fez uma grande reforma no templo e também no culto da religião.
Derrubou os altares pagãos, casas de culto.

Josias profanou até mesmo o altar de Jeroboão (a Tofete) e o demoliu que era o altar em que a pessoas levavam os filhos e os faziam passar pelo fogo.
Quebrou as estátuas, cortou os Bosques, Josias não apenas erradicou as coisas que estavam erradas, mas também restabeleceu as que deviam estar funcionando. O Governo de Josias se nos afigura um Oásis no deserto tais e tantos foram os desvios da fé, os crimes políticos, a anarquia religiosa, que o aparecimento de Josias, filho de um Pai idólatra e mau, com tais pendores para a religião e para Deus parece mais um milagre da História do que um fato propriamente dito.

A Celebração da Páscoa

“E o Rei deu ordem a todo o povo, dizendo: Celebrai a Páscoa ao Senhor, vosso Deus, como está escrito no livro do concerto”.
Porque nunca se celebrou tal Páscoa como está desde os dias dos Juízes que julgaram a Israel, nem em todos os dias dos reis de Israel, nem tampouco dos reis de Judá.
Porém no ano décimo oitavo do Rei Josias, esta Páscoa se celebrou ao Senhor, em Jerusalém 2 Reis 23:21-23.
Josias restaurou a Páscoa de uma forma que nenhum Rei de Judá ou Israel jamais havia feito.

Flávio Josefo descreve assim a celebração da Páscoa.

...Quando, assim, purificou todo o seu território, mandou reunir o povo em Jerusalém para, lá celebrar a festa dos pães ázimos, que nós citamos da Páscoa e deu, ao povo, para celebrar em festins públicos, trinta mil cordeiros e cabritos, e três mil bois. Os principais sacrificadores, dois mil e seiscentos cordeiros; os principais levitas deram aos outros levitas cinco mil cordeiros e Quinhentos bois, nenhum destes animais deixou de ser imolado, segundo a lei de Moisés. Pelo cuidado que disso tiveram os sacrificadores. Assim, não houve, desde os tempos do profeta Samuel, uma festa celebrada com tanta solenidade. Esta foi à grande celebração de Páscoa feita pelo Rei Josias.

Sua Morte

Poucos detalhes falam na Bíblia sobre a morte de Josias. Josias foi morto pelo Faraó Neco durante a batalha de Meggido, em 608 A.C.
O Faraó não queria batalha contra Israel, mas Josias se negou a dar passagem para o Faraó, para atacar os caldeus.
Assim morreu o último grande Rei de Israel, temente ao único Deus verdadeiro.