quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

A ORAÇÃO SIMPLES

Não existe oração errada. Aliás, a oração errada é aquela que não é feita. A Bíblia Sagrada ensina que se deve orar a respeito de tudo. Orar por qualquer motivo, qualquer hora, qualquer lugar, sempre que o coração não estiver em paz. Tão logo o coração experimente apreensão, preocupação, medo, angústia, enfim, seja perturbado por alguma coisa, a ação imediata de quem confia em Deus é a oração.

O apóstolo Paulo diz que não precisamos andar ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, com ação de graças, devemos apresentar nossos pedidos a Deus, tendo nas mãos a promessa de que a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará nossos sentimentos e pensamentos em Cristo Jesus (Filipenses 4.6,7). A expressão “coisa alguma” inclui desde uma vaga no estacionamento do shopping center até o fechamento de um negócio, o desejo de que não chova no dia da festa até a enfermidade de uma pessoa querida.

Esta experiência de oração é chamada de oração simples: orar sem censura filosófica ou teológica, orar sem se perguntar “é legítimo pedir isso a Deus?” ou “será que Deus se envolve nesse tipo de coisa?”. Simplesmente orar.

A garantia que temos quando oramos assim é a paz de Deus em nossos corações e mentes. A Bíblia não garante que Deus atenderá nossos pedidos exatamente como foram feitos: pode ser que a vaga no estacionamento não seja encontrada e que chova no dia da festa. A oração não se presta a fazer Deus trabalhar para nós, atendendo nossos caprichos e provendo o nosso conforto. Já que a causa da oração simples é a ansiedade, a resposta de Deus é a paz. O resultado da oração não é necessariamente a mudança da realidade a respeito da qual se ora, mas a mudança da pessoa que ora. A mudança da situação a respeito da qual se ora é uma possibilidade, a mudança do coração e da mente da pessoa que ora é uma realidade. Deus não prometeu dizer sim a todos os nossos pedidos, mas nos garantiu dar paz e nos conduzir à serenidade. Não prometeu nos livrar do vale da sombra da morte, mas nos garantiu que estaria lá conosco e nos conduziria em segurança através dele.

O maior fruto da oração não é o atendimento do pedido ou da súplica, mas a maturidade crescente da pessoa que ora. Na verdade, a estatura espiritual de uma pessoa pode ser medida pelo conteúdo de suas orações. Assim como sabemos se nossos filhos estão crescendo observando o que nos pedem e o que esperam de nós, podemos avaliar nosso próprio crescimento espiritual através de nossos pedidos e súplicas a Deus. As orações revelam o que realmente ocupa nossos corações, o que realmente é objeto dos nossos desejos, o que nos amedronta, nos desestabiliza e nos rouba a paz.

O apóstolo Paulo diz que quando era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Mas quando se tornou homem, deixou para trás as coisas de menino (1Coríntios 13.11). Não existe oração certa e errada. Mas existe oração de menino e oração de homem. Oração de menina e oração de mulher. A diferença está no coração: coração de menino e de menina, ora como menino e menina. A nossa certeza é que Deus também gosta de crianças.


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

VEJA AÍ OS TIPOS DE CRENTE



Será que você se identifica com algum desses?

Crente Tipo...
Elevador -
Esta sempre subindo e descendo na vida espiritual;
Leão -
Não se meta com ele, pois ele é o rei da igreja;
Crente Cestão -
Cês tão orando por mim?
Crente "3s"-
Salvo, sentado e sossegado;
Praia De Mar -
Cheio de onda;
Total Flex -
Ao mesmo tempo e no mesmo lugar anda tanto na carne quanto no espírito;
Linha Direta - Só tragédia.
Seis e Meia -
Sempre para baixo.
Crente Mâe do Kiko -
Não se mistura com "gentalha".
Karatê -
Só dá valor se o cara ter bens.
Sonrisal -
Na igreja derrete todo, mas em casa...hummm;
Crente Pão de Fôrma -
Miolo mole, casca grossa, chato e quadrado;
Aeroporto Congonhas -
Deslizar é com ele mesmo.
Piranha -
É só ver alguém arranhado (ferido) que já ataca.
Crente Escoteiro -
Só vai em acampamento.
Crente Machado -
Qualquer idéia ele já corta.
Crente Cabelereiro -
Trabalha só pra fazer a cabeça dos outros...
Noé -
Nunca as coisas são com ele, "Noé comigo irmão".
Crente Carrapato -
Vive colado nos outros...
Crente Piolho -
Anda pela cabeça dos outros...
Crente Chiclé -
Mastiga a Palavra, mas não engole...
Crente Girafa -
O corpo está na igreja, mas a cabeça está lá fora.
Crente Gatinho -
Só estão contentes e animados na vida e na igreja quando mimados;
Pastel De Feira -
Muita aparência, mas logo o que se nota é só vapor;
Cometa Halley -
Até Que Vem Na Igreja, Mas Só Depois De Uma Longa Volta Cósmica Pelo Universo De Greiscou.
Self Serve -
Quer O Culto Segundo Suas Preferências;
Ronaldo Ésper -
Só Dá Alfinetada;
Pelicano -
Só Tem Papo.
Crente Temporada -
Um Mês Na Igreja Outro Nada.
Dvd -
Deita Vira E Dorme No Culto
Glacê -
Só Atua Se Estiver Por Cima.
Bolsa De Valores -
Um Dia Está Em Alta Outro Dia Em Baixa.
Açucar -
Se Tiver Que Se Sair Com Chuva À Igreja, Acredita Que Vai Derreter.
Agente Secreto -
Cheio De Mistério. Da Língua Aos Pés É Estranho De Ver E Sentir.
Bule -
De "Pó Café" (Pouca Fé).
Celular Pré Pago -
Quando Se Precisa Dele Não Tem Crédito Ou Está Fora De Área.
Celular -
Dependendo Do Lugar Não Dá Sinal De Crente.
Dom De Canto -
Fica Lá No Canto Da Igreja Encostado E Não Quer Saber De Trabalhar!
Florzinha De Jesus -
Qualquer Coisa, Sai Da Igreja Com Biquinho De Coitadinho.
Kodak -
Só Revela E Não Percebe Que É Revelado.
Manteiga -
Vive Se Derretendo Por Qualquer Pão Velho.
Nostradamus -
Cheio De Visões, Visagens E Miragens.
Papagaio -
Vive Repetindo Tudo Aquilo Que Falam Sem Examinar As Escrituras.
Peter Pan -
Não Quer Crescer. Tá Sempre No Be-A-Ba E Ainda Critica Quem Cresce.
Relicário -
Vive De Coisas Do Passado.
Talento -
Tão Cheio De Lentidão.
Taxi -
Até que leva a cruz do próximo, mas com o taxímetro ligado. Fica caro.
Urso -
No inverno, fica hibernando.
O Crente Caneta -
So vive na mão dos outros e dificiomente está na mão do dono.

E você, qual tipo de crente você é?

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

JOSÍAS, UM REI EXEMPLAR

Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar e reinou trinta e um anos em Jerusalém; e era o nome de sua mãe, Jedida, filha de Adaias, de Boscate”. 2 REIS 22:1. E fez o que era reto aos olhos do Senhor. O reino de Judá foi abençoado com sua última grande reforma religiosa, pois Josias foi temente a Deus, e foi com grande ajuda do Sacerdote Hilquias, Pai do profeta Jeremias, que Josias fez grande reforma no sistema Judaico.

O nome Josías significa "Curado por Jeová" ou "O Senhor o Sustenta".

Josías, Rei de Judá

Josias, foi o rei de Judá no período de 640 a 609 a.c (2 Rs. 22 e 23; 2 Cr. 34 e 35) seu avô, o perverso rei Manassés, reinará por 55 anos; perseguiu as pessoas piedosas e reprimiu a verdadeira religião em Judá; seu Pai, Amom, governou apenas 2 anos (2 Rs. 21.19-26; 2 Cr. 33.21-25) e deu continuidade às práticas malignas de Manassés; seu reinado foi interrompido por intrigas na corte que culminaram com seu assassinato (2 Rs. 21:24). Nessa época difícil, Josias chegou ao trono, com apenas 8 anos de idade. Vale a pena lembrar que, o nascimento de Josias e o que ele faria, foi profetizado por um profeta, homem de Deus, que foi enviado de Judá à Betel, 300 anos antes (veja 1 Rs. 13:1 e 2; 2 Rs. 23:15-20).

Quando Josias chegou à idade adulta, reagiu às condições pecaminosas que havia em seus dias com a idade de dezesseis anos eles já buscava fervorosamente a Deus. Ao invés de amoldar-se ás práticas idolatras. Em quatro anos sua devoção a Deus se cristalizara a um ponto em que ele deu início à reforma religiosa (628 a.c).

Josias foi grandemente quebrantado a reformar a religião Israelita de quando foi achado o livro da lei dos Judeus por Hilquias o sacerdote. (2 Rs. 22:8-13). Pois o livro foi levado a Josias, por Safã o escriba; Quão grande foi à emoção do Rei Josias ao qual depois de ouvir, rasgou as suas vestes, sinal este que era para mostrar arrependimento dos pecados diante do Senhor.

Por sua piedade, Josias tinha 26 anos de idade. (622 a.c). Quando levou a cabo, a purificação da terra de Israel por meio da restauração do templo. E colocou esta restauração sob a direção de Safã, Maaséias, Joá e Hilquias, o Sumo Sacerdote.

Flávio Josefo destaca da seguinte maneira cada um deles:

Maaséias ou Amaza- era governador de Jerusalém;
Safã- era secretário;
Joá ou Joatão- era intendente dos registros reais e sacerdotais;
E Hilquias- era grão-sacrificador, ou seja, sumo sacerdote.

Nos dias de Josias havia uma grande Profetiza chamada Hulda, Josias sabia de seu ministério e enviou o sumo sacerdote- Hilquias, Safã e outros, para receber por ele, o que ela tinha a dizer ao Rei.

Grande e forte foram as suas palavras, por causa do pecado de Israel, e sua idolatria a outros Deuses, Deus traria desolação a Israel.
Mas que Josias por ser temente a Deus, o traria Paz e Descanso e Josias morreria em Paz, e não veria a desolação de Israel. (2 Rs. 22:14-20).
Josias fez uma grande reforma no templo e também no culto da religião.
Derrubou os altares pagãos, casas de culto.

Josias profanou até mesmo o altar de Jeroboão (a Tofete) e o demoliu que era o altar em que a pessoas levavam os filhos e os faziam passar pelo fogo.
Quebrou as estátuas, cortou os Bosques, Josias não apenas erradicou as coisas que estavam erradas, mas também restabeleceu as que deviam estar funcionando. O Governo de Josias se nos afigura um Oásis no deserto tais e tantos foram os desvios da fé, os crimes políticos, a anarquia religiosa, que o aparecimento de Josias, filho de um Pai idólatra e mau, com tais pendores para a religião e para Deus parece mais um milagre da História do que um fato propriamente dito.

A Celebração da Páscoa

“E o Rei deu ordem a todo o povo, dizendo: Celebrai a Páscoa ao Senhor, vosso Deus, como está escrito no livro do concerto”.
Porque nunca se celebrou tal Páscoa como está desde os dias dos Juízes que julgaram a Israel, nem em todos os dias dos reis de Israel, nem tampouco dos reis de Judá.
Porém no ano décimo oitavo do Rei Josias, esta Páscoa se celebrou ao Senhor, em Jerusalém 2 Reis 23:21-23.
Josias restaurou a Páscoa de uma forma que nenhum Rei de Judá ou Israel jamais havia feito.

Flávio Josefo descreve assim a celebração da Páscoa.

...Quando, assim, purificou todo o seu território, mandou reunir o povo em Jerusalém para, lá celebrar a festa dos pães ázimos, que nós citamos da Páscoa e deu, ao povo, para celebrar em festins públicos, trinta mil cordeiros e cabritos, e três mil bois. Os principais sacrificadores, dois mil e seiscentos cordeiros; os principais levitas deram aos outros levitas cinco mil cordeiros e Quinhentos bois, nenhum destes animais deixou de ser imolado, segundo a lei de Moisés. Pelo cuidado que disso tiveram os sacrificadores. Assim, não houve, desde os tempos do profeta Samuel, uma festa celebrada com tanta solenidade. Esta foi à grande celebração de Páscoa feita pelo Rei Josias.

Sua Morte

Poucos detalhes falam na Bíblia sobre a morte de Josias. Josias foi morto pelo Faraó Neco durante a batalha de Meggido, em 608 A.C.
O Faraó não queria batalha contra Israel, mas Josias se negou a dar passagem para o Faraó, para atacar os caldeus.
Assim morreu o último grande Rei de Israel, temente ao único Deus verdadeiro.

sábado, 19 de novembro de 2011

A BIBLIA E O CELULAR

Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular?

E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa?
E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?
E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa, no escritório…. ?
E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?
E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?
E se a déssemos de presente às crianças?
E se a usássemos quando viajamos?
E se lançássemos mão dela em caso de emergência?

Mais uma coisa:

Ao contrário do celular, a Bíblia não fica sem sinal. Ela ‘pega’ em qualquer lugar.
Não é preciso se preocupar com a falta de crédito porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim.
E o melhor de tudo: não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a vida.

“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”! (Is 55:6)

terça-feira, 15 de novembro de 2011

REFLEXÕES SOBRE A ESPOSA DE UM OBREIRO

1. OS PRIVILEGIOS DE SER ESPOSA DE OBREIRO

1. O privilégio de compartilhar das oportunidades
2. O privilégio de compartilhar da liderança
3. O privilégio de oferecer sábias sugestões
4. O privilégio de ser uma eficaz adjutora
5. O privilégio de compartilhar do galardão

2. OS COMPROMISSOS DE UMA ESPOSA DE OBREIRO

1. O compromisso de apoiar
2. O compromisso de acompanhar
3. O comromisso de ajudar
4. O compromisso de estimular
5. O compromisso de compreender

3. AS TENTAÇÕES DE UMA ESPOSA DE OBREIRO

1. A tentação de ignorar o ministério de seu esposo
2. A tentação de murmurar quando ocorrem crises, inclusive de solidão
3. A tentação de desistir diante das muitas dificuldades
4. A tentação de cultivar um ciúme doentio
5. A tentação de abandonar o esposo

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O FOLHETO

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o velho pastor e seu sobrinho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos sacros.
Numa tarde de domingo, quando chegou à hora do pastor e seu sobrinho saírem pelas ruas com os folhetos, fazia muito frio lá fora e também chovia muito. O menino se agasalhou e disse:
-Ok, tio, estou pronto. '
E o pastor perguntou:
-'Pronto para quê?':
-'Tio, está na hora de juntarmos os nossos folhetos e sairmos. '
O pastor respondeu:
-'Filho, está muito frio lá fora e também está chovendo muito. '
O menino olhou surpreso e perguntou:
-'Mas tio, as pessoas não vão para o inferno até mesmo em dias de chuva?'
O pastor respondeu:
-'Filho, eu não vou sair nesse frio. '
Triste, o menino perguntou:
-'Tio, eu posso ir? Por favor!'
O pastor hesitou por um momento e depois disse:
-'Filho, você pode ir. Aqui estão os folhetos. Tome cuidado, filho. '
-'Obrigado, tio!'
Então ele saiu no meio daquela chuva. Este menino de onze anoscaminhou pelas ruas da cidade de porta em porta entregando folhetos sacros a todos que via.
Depois de caminhar por duas horas na chuva, ele estava todo molhado, mas faltava o último folheto. Ele parou na esquina e procurou por alguém para entregar o folheto, mas as ruas estavam totalmente desertas. Então ele se virou em direção à primeira casa que viu e caminhou pela calçada até a porta e tocou a campainha. Ele tocou a campainha, mas ninguém respondeu. Ele tocou de novo, mais uma vez, mas ninguém abriu a porta. Ele esperou, mas não houve resposta.
Finalmente, este soldadinho de onze anos se virou para ir embora, mas algo o deteve. Mais uma vez, ele se virou para a porta, tocou a campainha e bateu na porta bem forte. Ele esperou, alguma coisa o fazia ficar ali na varanda. Ele tocou de novo e desta vez a porta se abriu bem devagar.De pé na porta estava uma senhora idosa com um olhar muito triste. Ela perguntou gentilmente:
-'O que eu posso fazer por você, meu filho?'
Com olhos radiantes e um sorriso que iluminou o mundo dela, estepequeno menino disse:
-'Senhora, me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS A AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto que lhe dirá tudo sobre JESUS e seu grande AMOR. '
Então ele entregou o seu último folheto e se virou para ir embora.Ela o chamou e disse:
-'Obrigada, meu filho!!! E que Deus te abençoe!!!'
Bem, na manhã do seguinte domingo na igreja, o pastor estava no altar, quando o culto começou ele perguntou:
- 'Alguém tem um testemunho ou algo a dizer?'
Lentamente, na última fila da igreja, uma senhora idosa se pôs de pé.Conforme ela começou a falar, um olhar glorioso transparecia em seu rosto.
- 'Ninguém me conhece nesta igreja. Eu nunca estive aqui. Vocês sabem antes do domingo passado eu não era cristã. Meu marido faleceu a algum tempo deixando-me totalmente sozinha neste mundo. No domingo passado, sendo um dia particularmente frio e chuvoso, eu tinha decidido no meu coração que eu chegaria ao fim da linha, eu não tinha mais esperança ou vontade de viver.
Então eu peguei uma corda e uma cadeira e subi as escadas para o sótão da minha casa. Eu amarrei a corda numa madeira no telhado, subi na cadeira e coloquei a outra ponta da corda em volta do meu pescoço.De pé naquela cadeira, tão só e de coração partido, eu estava a ponto de saltar, quando, de repente, o toque da campainha me assustou. Eu pensei:
-'Vou esperar um minuto e quem quer que seja irá embora. '
Eu esperei e esperei, mas a campainha era insistente; depois a pessoa que estava tocando também começou a bater bem forte. Eu pensei:
-'Quem neste mundo pode ser? Ninguém toca a campainha da minha casa ou vem me visitar. '
Eu afrouxei a corda do meu pescoço e segui em direção à porta,enquanto a campainha soava cada vez mais alta.
Quando eu abri a porta e vi quem era, eu mal pude acreditar, pois naminha varanda estava o menino mais radiante e angelical que já vi em minha vida. O seu SORRISO, ah, eu nunca poderia descrevê-lo a vocês!As palavras que saíam da sua boca fizeram com que o meu coração que estava morto há muito tempo SALTASSE PARA A VIDA quando ele exclamou com voz de querubim:,
-'Senhora, eu só vim aqui para dizer QUE JESUS A AMA MUITO. '
Então ele me entregou este folheto que eu agora tenho em minhas mãos.
Conforme aquele anjinho desaparecia no frio e na chuva, eu fechei a porta e atenciosamente li cada palavra deste folheto.
Então eu subi para o sótão para pegar a minha corda e a cadeira. Eunão iria precisar mais delas. Vocês vêem - eu agora sou uma FILHAFELIZ DE DEUS!!!
Já que o endereço da igreja estava no verso deste folheto, eu vim aqui pessoalmente para dizer OBRIGADO ao anjinho de Deus que no momento certo livrou a minha alma de uma eternidade no inferno. '
Não havia quem não tivesse lágrimas nos olhos na igreja.o Velho pastor desceu do altar e foi em direção a primeira fila onde o seu anjinho estava sentado. Ele tomou o seu sobrinho nos braços e chorou copiosamente.
Provavelmente nenhuma igreja teve um momento tão glorioso como este.
Bem aventurados são os olhos que vêem esta mensagem. Não deixe que ela se perca, leia-a de novo e passe-a adiante.
Lembre-se: a mensagem de Deus pode fazer a diferença na vida de alguém próximo a você.
Por isso...
- Me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS TE AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meuúltimo folheto.

domingo, 2 de outubro de 2011

DEIXE A GLÓRIA BRILHAR

(Isaias 60.1) - Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória
do SENHOR vai nascendo sobre ti.

A glória de Deus é o homem vivendo abundantemente e a vida abundante do homem é a visão da glória de Deus. (Irenaeus)
Muitos cristãos acham entediante pensar na vida celestial.
O mesmo pensamento têm a respeito de adoração.
Porém, não deveria ser dessa forma.
Não há nada que possa produzir mais gozo e prazer do que estar na presença do Senhor.
Cada momento em oração é um refrigério para a nossa alma e um motivo de júbilo para nossos corações.
A oração nos fortalece, nos anima, nos faz recuperar as forças espirituais.
Quando gastamos um pouco de nosso tempo diante de Deus, adorando-O e glorificando o Seu nome, nos sentimos fortalecidos e somos capazes de enfrentar, com muito mais coragem e ousadia, os problemas que possam surgir à nossa frente.
O verdadeiro cristão precisa viver abundantemente.
E para que isso aconteça, não pode se afastar da presença do Senhor.
Desta forma ele obtém vitórias em suas lutas, resplandece em seu testemunho, brilha e ilumina os ambientes por onde passa.
A glória do Senhor está presente em tudo o que faz.
Ele não se desvia do caminho porque seus olhos espirituais estão dirigidos a Deus e é o Senhor quem o faz caminhar com firmeza e segurança.
Como diz um antigo cântico jovem: "Deixe a glória de Deus brilhar, deixe a glória de Deus brilhar, Deixe a glória de Deus brilhar, deixe a glória de Deus brilhar; Deixe a glória de Deus brilhar, Deixe a glória em seu rosto brilhar; Deixe a glória de Deus brilhar em seu rosto, deixe a glória de Deus brilhar."
Você acha que orar e adorar ao Senhor é chato?
Você tem agido com indiferença quando seus irmãos se reúnem para buscar a presença do Senhor?
Talvez seja exatamente isso que esteja faltando para que você seja feliz e tenha uma vida vitoriosa.
Ainda há tempo de você deixar a glória de Deus brilhar em seu rosto.

O QUE É TEMPO?

(Oséias 10.12) - ... porque é tempo de buscar ao SENHOR, até que venha e chova a justiça sobre vós.

O que é tempo?
Quem facilmente e brevemente pode explicá-lo?
Quem pode compreendê-lo, até em pensamento, para expressá-lo em uma palavra?
O que nós discutimos mais familiarmente e conscientemente em conversação do que o tempo?
Seguramente, nós entenderemos quando conversarmos sobre ele, e também o entenderemos quando ouvirmos outros conversarem sobre ele.
O que, então, é tempo?
Se ninguém me perguntar, eu sei; se eu quiser explicar a alguém que me
perguntar, eu não sei. (Augustine - Confissões)
O jogo de palavras do autor de nossa ilustração pode até nos confundir, porém, de uma coisa estamos seguros: É tempo de buscar a Deus!
É tempo de buscar e viver o amor do Senhor.
É tempo de esquecer as coisas que para trás ficam.
É tempo de seguir em frente, com confiança, em busca de nossos sonhos e
objetivos.
É tempo de abrir o coração para o Salvador e Senhor Jesus Cristo.
É tempo de não perder tempo, de aproveitar o tempo para sorrir, para cantar, para dançar de felicidade.
É tempo de estender a mão, de esquecer as mágoas, de responder ao
chamado de Deus com um brado de regozijo -- Eis-me aqui!
É tempo de acreditar mais e duvidar menos, é tempo de, mesmo sob tempestades de problemas, aguardar com fé o brilho do sol das bênçãos celestiais.
É tempo de acender a luz do nosso testemunho e não simplesmente esperar por um clarão no fim do túnel.
É tempo de subir montanhas na esperança de encontrar a campina de nossa felicidade.
Como explicar o tempo?
Não importa...
Eu quero viver o tempo que Deus me concedeu, para ser uma bênção, para cantar e ser muito feliz.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O PACTO DE LAUSANNE, SUIÇA, 1947

Lausanne, na Suíça é o lugar em que ocorreu Congresso Internacional em 1974. Líderes cristãos de 150 países compareceram, e daí surgiu o Lausanne Committee for World Evangelization (Comitê de Lausanne para a Evangelização Mundial). Esse congresso também estabeleceu um pacto, este que você lê abaixo. Este pacto foi assinado por 2.300 evangélicos que se comprometeram a ir mais a fundo no compromisso com a evangelização mundial. Desde então o pacto tem sido uma referência para igrejas e missões. Eu não poderia deixar de postar sobre o Pacto de Lausanne e alguns trechos do Livro sobre o Pacto de Lausanne, que marcou a minha vida e o meu amor por CRISTO e pelo Evangelho.

Introdução

Nós, membros da Igreja de JESUS CRISTO, procedentes de mais de 150 nações, participantes do Congresso Internacional de Evangelização Mundial, em Lausanne, louvamos a DEUS por sua grande salvação, e regozijamo-nos com a comunhão que, por graça dele mesmo, podemos ter com ele e uns com os outros. Estamos profundamente tocados pelo que DEUS vem fazendo em nossos dias, movidos ao arrependimento por nossos fracassos e desafiados pela tarefa inacabada da evangelização. Acreditamos que o evangelho são as boas novas de DEUS para todo o mundo, e por sua graça, decidimos a obedecer ao mandamento de CRISTO de proclamá-lo a toda a humanidade e fazer discípulos de todas as nações. Desejamos, portanto, reafirmar a nossa fé e a nossa resolução, e tornar público o nosso pacto.

1. O Propósito de Deus
Afirmamos a nossa crença no único DEUS eterno, Criador e Senhor do Mundo, Pai, Filho e ESPÍRITO SANTO, que governa todas as coisas segundo o propósito da sua vontade. Ele tem chamado do mundo um povo para si, enviando-o novamente ao mundo como seus servos e testemunhas, para estender o seu reino, edificar o corpo de CRISTO, e também para a glória do seu nome. Confessamos, envergonhados, que muitas vezes negamos o nosso chamado e falhamos em nossa missão, em razão de nos termos conformado ao mundo ou nos termos isolado demasiadamente. Contudo, regozijamo-nos com o fato de que, mesmo transportado em vasos de barro, o evangelho continua sendo um tesouro precioso. À tarefa de tornar esse tesouro conhecido, no poder do ESPÍRITO SANTO, desejamos dedicar-nos novamente.

2. A Autoridade e o Poder da Bíblia
Afirmamos a inspiração divina, a veracidade e autoridade das Escrituras tanto do Velho como do Novo Testamento, em sua totalidade, como única Palavra de DEUS escrita, sem erro em tudo o que ela afirma, e a única regra infalível de fé e prática. Também afirmamos o poder da Palavra de DEUS para cumprir o seu propósito de salvação. A mensagem da Bíblia destina-se a toda a humanidade, pois a revelação de DEUS em CRISTO e na Escritura é imutável. Através dela o ESPÍRITO SANTO fala ainda hoje. Ele ilumina as mentes do povo de DEUS em toda cultura, de modo a perceberem a sua verdade, de maneira sempre nova, com os próprios olhos, e assim revela a toda a igreja uma porção cada vez maior da multiforme sabedoria de DEUS.

3. A Unicidade e a Universalidade de Cristo
Afirmamos que há um só Salvador e um só evangelho, embora exista uma ampla variedade de maneiras de se realizar a obra de evangelização. Reconhecemos que todos os homens têm algum conhecimento de DEUS através da revelação geral de DEUS na natureza. Mas negamos que tal conhecimento possa salvar, pois os homens, por sua injustiça, suprimem a verdade. Também rejeitamos, como depreciativo de CRISTO e do evangelho, todo e qualquer tipo de sincretismo ou de diálogo cujo pressuposto seja o de que CRISTO fala igualmente através de todas as religiões e ideologias. JESUS CRISTO, sendo ele próprio o único DEUS-homem, que se deu uma só vez em resgate pelos pecadores, é o único mediador entre DEUS e o homem. Não existe nenhum outro nome pelo qual importa que sejamos salvos. Todos os homens estão perecendo por causa do pecado, mas DEUS ama todos os homens, desejando que nenhum pereça, mas que todos se arrependam. Entretanto, os que rejeitam CRISTO repudiam o gozo da salvação e condenam-se à separação eterna de DEUS. Proclamar JESUS como "o Salvador do mundo" não é afirmar que todos os homens, automaticamente, ou ao final de tudo, serão salvos; e muito menos que todas as religiões ofereçam salvação em CRISTO. Trata-se antes de proclamar o amor de DEUS por um mundo de pecadores e convidar todos os homens a se entregarem a ele como Salvador e Senhor no sincero compromisso pessoal de arrependimento e fé. JESUS CRISTO foi exaltado sobre todo e qualquer nome. Anelamos pelo dia em que todo joelho se dobrará diante dele e toda língua o confessará como Senhor.

4. A Natureza da Evangelização
Evangelizar é difundir as boas novas de que JESUS CRISTO morreu por nossos pecados e ressuscitou segundo as Escrituras, e de que, como Senhor e Rei, ele agora oferece o perdão dos pecados e o dom libertador do ESPÍRITO a todos os que se arrependem e crêem. A nossa presença cristã no mundo é indispensável à evangelização, e o mesmo se dá com aquele tipo de diálogo cujo propósito é ouvir com sensibilidade, a fim de compreender. Mas a evangelização propriamente dita é a proclamação do CRISTO bíblico e histórico como Salvador e Senhor, com o intuito de persuadir as pessoas a vir a ele pessoalmente e, assim, se reconciliarem com DEUS. Ao fazermos o convite do evangelho, não temos o direito de esconder o custo do discipulado. JESUS ainda convida todos os que queiram segui-lo e negarem-se a si mesmos, tomarem a cruz e identificarem-se com a sua nova comunidade. Os resultados da evangelização incluem a obediência a CRISTO, o ingresso em sua igreja e um serviço responsável no mundo.

5. A Responsabilidade Social Cristã
Afirmamos que DEUS é o Criador e o Juiz de todos os homens. Portanto, devemos partilhar o seu interesse pela justiça e pela conciliação em toda a sociedade humana, e pela libertação dos homens de todo tipo de opressão. Porque a humanidade foi feita à imagem de DEUS, toda pessoa, sem distinção de raça, religião, cor, cultura, classe social, sexo ou idade possui uma dignidade intrínseca em razão da qual deve ser respeitada e servida, e não explorada. Aqui também nos arrependemos de nossa negligência e de termos algumas vezes considerado a evangelização e a atividade social mutuamente exclusivas. Embora a reconciliação com o homem não seja reconciliação com DEUS, nem a ação social evangelização, nem a libertação política salvação, afirmamos que a evangelização e o envolvimento sócio-político são ambos parte do nosso dever cristão. Pois ambos são necessárias expressões de nossas doutrinas acerca de DEUS e do homem, de nosso amor por nosso próximo e de nossa obediência a JESUS CRISTO. A mensagem da salvação implica também uma mensagem de juízo sobre toda forma de alienação, de opressão e de discriminação, e não devemos ter medo de denunciar o mal e a injustiça onde quer que existam. Quando as pessoas recebem CRISTO, nascem de novo em seu reino e devem procurar não só evidenciar mas também divulgar a retidão do reino em meio a um mundo injusto. A salvação que alegamos possuir deve estar nos transformando na totalidade de nossas responsabilidades pessoais e sociais. A fé sem obras é morta.

6. A Igreja e a Evangelização
Afirmamos que CRISTO envia o seu povo redimido ao mundo assim como o Pai o enviou, e que isso requer uma penetração de igual modo profunda e sacrificial. Precisamos deixar os nossos guetos eclesiásticos e penetrar na sociedade não-cristã. Na missão de serviço sacrificial da igreja a evangelização é primordial. A evangelização mundial requer que a igreja inteira leve o evangelho integral ao mundo todo. A igreja ocupa o ponto central do propósito divino para com o mundo, e é o agente que ele promoveu para difundir o evangelho. Mas uma igreja que pregue a Cruz deve, ela própria, ser marcada pela Cruz. Ela torna-se uma pedra de tropeço para a evangelização quando trai o evangelho ou quando lhe falta uma fé viva em DEUS, um amor genuíno pelas pessoas, ou uma honestidade escrupulosa em todas as coisas, inclusive em promoção e finanças. A igreja é antes a comunidade do povo de DEUS do que uma instituição, e não pode ser identificada com qualquer cultura em particular, nem com qualquer sistema social ou político, nem com ideologias humanas.

7. Cooperação na Evangelização
Afirmamos que é propósito de DEUS haver na igreja uma unidade visível de pensamento quanto à verdade. A evangelização também nos convoca à unidade, porque o ser um só corpo reforça o nosso testemunho, assim como a nossa desunião enfraquece o nosso evangelho de reconciliação. Reconhecemos, entretanto, que a unidade organizacional pode tomar muitas formas e não ativa necessariamente a evangelização. Contudo, nós, que partilhamos a mesma fé bíblica, devemos estar intimamente unidos na comunhão uns com os outros, nas obras e no testemunho. Confessamos que o nosso testemunho, algumas vezes, tem sido manchado por pecaminoso individualismo e desnecessária duplicação de esforço. Empenhamo-nos por encontrar uma unidade mais profunda na verdade, na adoração, na santidade e na missão. Instamos para que se apresse o desenvolvimento de uma cooperação regional e funcional para maior amplitude da missão da igreja, para o planejamento estratégico, para o encorajamento mútuo, e para o compartilhamento de recursos e de experiências.

8. Esforço Conjugado de Igrejas na Evangelização
Regozijamo-nos com o alvorecer de uma nova era missionária. O papel dominante das missões ocidentais está desaparecendo rapidamente. DEUS está levantando das igrejas mais jovens um grande e novo recurso para a evangelização mundial, demonstrando assim que a responsabilidade de evangelizar pertence a todo o corpo de CRISTO. Todas as igrejas, portando, devem perguntar a DEUS, e a si próprias, o que deveriam estar fazendo tanto para alcançar suas próprias áreas como para enviar missionários a outras partes do mundo. Deve ser permanente o processo de reavaliação da nossa responsabilidade e atuação missionária. Assim, haverá um crescente esforço conjugado pelas igrejas, o que revelará com maior clareza o caráter universal da igreja de CRISTO. Também agradecemos a DEUS pela existência de instituições que laboram na tradução da Bíblia, na educação teológica, no uso dos meios de comunicação de massa, na literatura cristã, na evangelização, em missões, no avivamento de igrejas e em outros campos especializados. Elas também devem empenhar-se em constante auto-exame que as levem a uma avaliação correta de sua eficácia como parte da missão da igreja.

9. Urgência da Tarefa Evangelística
Mais de dois bilhões e setecentos milhões de pessoas, ou seja, mais de dois terços da humanidade, ainda estão por serem evangelizadas. Causa-nos vergonha ver tanta gente esquecida; continua sendo uma reprimenda para nós e para toda a igreja. Existe agora, entretanto, em muitas partes do mundo, uma receptividade sem precedentes ao Senhor JESUS CRISTO. Estamos convencidos de que esta é a ocasião para que as igrejas e as instituições para-eclesiásticas orem com seriedade pela salvação dos não-alcançados e se lancem em novos esforços para realizarem a evangelização mundial. A redução de missionários estrangeiros e de dinheiro num país evangelizado algumas vezes talvez seja necessária para facilitar o crescimento da igreja nacional em autonomia, e para liberar recursos para áreas ainda não evangelizadas. Deve haver um fluxo cada vez mais livre de missionários entre os seis continentes num espírito de abnegação e prontidão em servir. O alvo deve ser o de conseguir por todos os meios possíveis e no menor espaço de tempo, que toda pessoa tenha a oportunidade de ouvir, de compreender e de receber as boas novas. Não podemos esperar atingir esse alvo sem sacrifício. Todos nós estamos chocados com a pobreza de milhões de pessoas, e conturbados pelas injustiças que a provocam. Aqueles dentre nós que vivem em meio à opulência aceitam como obrigação sua desenvolver um estilo de vida simples a fim de contribuir mais generosamente tanto para aliviar os necessitados como para a evangelização deles.

10. Evangelização e Cultura
O desenvolvimento de estratégias para a evangelização mundial requer metodologia nova e criativa. Com a bênção de DEUS, o resultado será o surgimento de igrejas profundamente enraizadas em CRISTO e estreitamente relacionadas com a cultura local. A cultura deve sempre ser julgada e provada pelas Escrituras. Porque o homem é criatura de DEUS, parte de sua cultura é rica em beleza e em bondade; porque ele experimentou a queda, toda a sua cultura está manchada pelo pecado, e parte dela é demoníaca. O evangelho não pressupõe a superioridade de uma cultura sobre a outra, mas avalia todas elas segundo o seu próprio critério de verdade e justiça, e insiste na aceitação de valores morais absolutos, em todas as culturas. As missões, muitas vezes têm exportado, juntamente com o evangelho, uma cultura estranha, e as igrejas, por vezes, têm ficado submissas aos ditames de uma determinada cultura, em vez de às Escrituras. Os evangelistas de CRISTO têm de, humildemente, procurar esvaziar-se de tudo, exceto de sua autenticidade pessoal, a fim de se tornarem servos dos outros, e as igrejas têm de procurar transformar e enriquecer a cultura; tudo para a glória de DEUS.

11. Educação e Liderança
Confessamos que às vezes temos nos empenhado em conseguir o crescimento numérico da igreja em detrimento do espiritual, divorciando a evangelização da edificação dos crentes. Também reconhecemos que algumas de nossas missões têm sido muito remissas em treinar e incentivar líderes nacionais a assumirem suas justas responsabilidades. Contudo, apoiamos integralmente os princípios que regem a formação de uma igreja de fato nacional, e ardentemente desejamos que toda a igreja tenha líderes nacionais que manifestem um estilo cristão de liderança não em termos de domínio, mas de serviço. Reconhecemos que há uma grande necessidade de desenvolver a educação teológica, especialmente para líderes eclesiásticos. Em toda nação e em toda cultura deve haver um eficiente programa de treinamento para pastores e leigos em doutrina, em discipulado, em evangelização, em edificação e em serviço. Este treinamento não deve depender de uma metodologia estereotipada, mas deve se desenvolver a partir de iniciativas locais criativas, de acordo com os padrões bíblicos.

12. Conflito Espiritual
Cremos que estamos empenhados num permanente conflito espiritual com os principados e potestades do mal, que querem destruir a igreja e frustrar sua tarefa de evangelização mundial. Sabemos da necessidade de nos revestirmos da armadura de DEUS e combater esta batalha com as armas espirituais da verdade e da oração. Pois percebemos a atividade no nosso inimigo, não somente nas falsas ideologias fora da igreja, mas também dentro dela em falsos evangelhos que torcem as Escrituras e colocam o homem no lugar de DEUS. Precisamos tanto de vigilância como de discernimento para salva guardar o evangelho bíblico. Reconhecemos que nós mesmos não somos imunes ao perigo de capitularmos ao secularismo. Por exemplo, embora tendo à nossa disposição pesquisas bem preparadas, valiosas, sobre o crescimento da igreja, tanto no sentido numérico como espiritual, às vezes não as temos utilizado. Por outro lado, por vezes tem acontecido que, na ânsia de conseguir resultados para o evangelho, temos comprometido a nossa mensagem, temos manipulado os nossos ouvintes com técnicas de pressão, e temos estado excessivamente preocupados com as estatísticas, e até mesmo utilizando-as de forma desonesta. A igreja tem que estar no mundo; o mundo não tem que estar na igreja.

13. Liberdade e Perseguição
É dever de toda nação, dever que foi estabelecido por DEUS, assegurar condições de paz, de justiça e de liberdade em que a igreja possa obedecer a DEUS, servir a CRISTO Senhor e pregar o evangelho sem impedimentos. Portanto, oramos pelos líderes das nações e com eles instamos para que garantam a liberdade de pensamento e de consciência, e a liberdade de praticar e propagar a religião, de acordo com a vontade de DEUS, e com o que vem expresso na Declaração Universal do Direitos Humanos. Também expressamos nossa profunda preocupação com todos os que foram injustamente encarcerados, especialmente com nossos irmãos que estão sofrendo por causa do seu testemunho do Senhor JESUS. Prometemos orar e trabalhar pela libertação deles. Ao mesmo tempo, recusamo-nos a ser intimidados por sua situação. Com a ajuda de DEUS, nós também procuraremos nos opor a toda injustiça e permanecer fiéis ao evangelho, seja a que custo for. Não nos esqueçamos de que JESUS nos preveniu de que a perseguição é inevitável.

14. O Poder do Espírito Santo
Cremos no poder do ESPÍRITO SANTO. O pai enviou o seu ESPÍRITO para dar testemunho do seu Filho. Sem o testemunho dele o nosso seria em vão. Convicção de pecado, fé em CRISTO, novo nascimento cristão, é tudo obra dele. De mais a mais, o ESPÍRITO SANTO é um ESPÍRITO missionário, de maneira que a evangelização deve surgir espontaneamente numa igreja cheia do ESPÍRITO. A igreja que não é missionária contradiz a si mesma e debela o ESPÍRITO. A evangelização mundial só se tornará realidade quando o ESPÍRITO renovar a igreja na verdade, na sabedoria, na fé, na santidade, no amor e no poder. Portanto, instamos com todos os cristãos para que orem pedindo pela visita do soberano ESPÍRITO de DEUS, a fim de que o seu fruto todo apareça em todo o seu povo, e que todos os seus dons enriqueçam o corpo de CRISTO. Só então a igreja inteira se tornará um instrumento adequado em Suas mãos, para que toda a terra ouça a Sua voz.

15. O Retorno de Cristo
Cremos que JESUS CRISTO voltará pessoal e visivelmente, em poder e glória, para consumar a salvação e o juízo. Esta promessa de sua vinda é um estímulo ainda maior à evangelização, pois lembramo-nos de que ele disse que o evangelho deve ser primeiramente pregado a todas as nações. Acreditamos que o período que vai desde a ascensão de CRISTO até o seu retorno será preenchido com a missão do povo de DEUS, que não pode parar esta obra antes do Fim. Também nos lembramos da sua advertência de que falsos cristos e falsos profetas apareceriam como precursores do Anticristo. Portanto, rejeitamos como sendo apenas um sonho da vaidade humana a idéia de que o homem possa algum dia construir uma utopia na terra. A nossa confiança cristã é a de que DEUS aperfeiçoará o seu reino, e aguardamos ansiosamente esse dia, e o novo céu e a nova terra em que a justiça habitará e DEUS reinará para sempre. Enquanto isso, rededicamo-nos ao serviço de CRISTO e dos homens em alegre submissão à sua autoridade sobre a totalidade de nossas vidas.

Conclusão
Portanto, à luz desta nossa fé e resolução, firmamos um pacto solene com DEUS, bem como uns com os outros, de orar, planejar e trabalhar juntos pela evangelização de todo o mundo. Instamos com outros para que se juntem a nós. Que DEUS nos ajude por sua graça e para a sua glória a sermos fiéis a este Pacto! Amém. Aleluia!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

DE QUE DEPENDE MISSÕES?

1. MISSÕES DEPENDE DA PESSOA DE DEUS
a. Missões procede no coração de Deus
b. Jesus, o maior de todos os Missionários
c. O Espírito Santo é o Executivo Sobrenatural de Missões

2. MISSOES DEPENDE DA PALAVRA DE DEUS
a. A Bíblia é o supremo Manual de Missões
b. A Bíblia descreve o estado da humanidade, o grande motivo para fazer Missões
c. A Bíblia apresenta e disponibiliza todos os recursos e equipamentos para a efetivação de Missões

3. MISSÕES DEPENDE DO CHAMADO DE DEUS
a. Existem os que são chamados e não vão
b. Existem os que vão sem serem chamados c. Existem os que são chamados e vão
d. O chamado de Deus se relaciona com Seu senhorio universal
e. O chamado de Deus se relaciona com Seu amor universal
f. O chamado de Deus se relaciona com o Plano da Redenção

4. MISSÕES DEPENDE DE UM HOMEM
a. O homem é o instrumento de Deus
b. O homem é enviado por Deus
c. O homem é o representante de Deus
d. O homem disposto a ser um MISSIONÁRIO

5. MISSÕES DEPENDE DE UMA DETERMINAÇÃO
a. A determinação do Espírito, que aponta
b. A determinação da Igreja, que envia
c. A determinação do missionário, que vai

6. ERROS QUE UM MISSIONÁRIO NÃO PODE COMETER
a. Negar-se a atender o chamado de Deus
b. Trocar a direção de Deus pela sua
c. Estar num nível espiritual inferior ao dos pecadores
d. Tentar fazer a Obra de Deus sem uma total dependência Dele

ARQUEÓLOGOS DESCOBREM FÁBRICA DE VINHO EM ÁREA PRÓXIMA ONDE NOÉ CULTIVOU UVAS APÓS O DILÚVIO


Em um recente artigo no Journal of Archaeological Science, arqueólogos, a partir de uma expedição conjunta entre armenios, americanos e irlandeses, anunciaram a descoberta do primeiro centro de operação de vinificação conhecido em uma caverna perto da fronteira sul da Armênia com o Irã. Este sítio encontra-se bem preservado graças a temperatura seca e a uma cama de fezes de ovelhas que acabou protegendo os artefatos. O mais interessante é que este achado fica a apenas 97 km de distância do Monte Ararat na Turquia, local onde o relato histórico-bíblico da vida de Noé relata que seu barco repousou quando as águas daquela catástrofe global baixaram.

É possível supor, portanto, que Noé foi o primeiro fabricante de vinho na era pós-diluviana.

“Sendo Noé lavrador, passou a plantar uma vinha” (Gênesis 9:20).

A palavra hebraica utilizada no verso acima é כּרם (kerem) que significa literalmente atividade de campo com videiras. O relato acima, infelizmente, levou a uma história triste que demonstra a realidade do ser humano quando, mesmo num simples descuido, se afasta de Deus, a famosa nudez de Noé quando estava embrigado.

Bebendo vinho, embriagou-se e se pôs nu dentro de sua tenda” (Gênesis 9:21).

A palavra original utilizada para vinho acima dá a entender que não era simplesmente o suco da uva, mas o suco da uva acrescentado de um processo de fermentação, tornando-o alcoólico. Tanto que, a palavra embriagado (heb: shâkar) remete a uma pessoa que saciou-se com bebida estimulante e a consumiu em abundância permitindo sua influência.

E embora muitos acadêmicos possam ser tentados a negar a historicidade das vinhas de Noé, a descoberta de evidências arqueológicas nas proximidades da mesma área onde a Bíblia registra que Noé também exerceu as mesmas atividades pode não ser tanta coincidência assim

O TOTEM DA PAZ

Don Richardoson começou falando sobre a figura de Jesus como Cordeiro de Deus, afirmando que Deus dera aos judeus, antes do seu nascimento, a possibilidade de entender que o pecado só pode ser perdoado através do sacrifício substitutivo.

Citando vários exemplos, Richardson defendeu que as culturas de todo o mundo têm, de alguma forma, o testemunho da justiça de Deus. Ele afirmou que os povos têm uma cosmovisão espiritual básica que aponta para um Deus criador e que a idéia de “salvação” engloba a necessidade de uma morte substitutiva. Ele chamou estas referências de “bússolas culturais”: em todas as culturas há a prova de que Deus preparou as nações para ouvir a história da morte redentiva de Cristo.

Um dos povos citados, o Sawi, foi um grupo étnico que habita na Papua Nova Guiné, o qual ele alcançou no início dos anos de 1960. Segundo ele, essa tribo, que na época tinha apenas cerca de 2.600 pessoas, possuía hábitos como cortar a cabeça dos inimigos e exibí-las como troféus, e que vivia em guerra com tribos vizinhas. Para os Sawi, a paz era algo impossível, pois só aconteceria se alguém fosse oferecido como símbolo do pacto da paz, mas ninguém estava disposto a dar a sua vida para isto. Mas, um dia, alguém, num ato de amor, entregou o seu próprio filho. Don Richardson pôde ver, mais uma vez, a “bússola de Deus” apontando para o sacrifício de Jesus.

Ele começou, assim, a contar a história do livro O Totem da Paz, de sua autoria.

Aos apaixonados por Missões, O Totem da Paz é uma leitura imperdível. (Editora Betânia)

sábado, 20 de agosto de 2011

A DIFERENÇA ENTRE UM MEMBRO DE IGREJA E UM DISCÍPULO DE CRISTO

Quarenta e oito diferenças entre um simples membro de igreja e a pessoa que assume o compromisso de ser um fiel discípulo de Cristo:

1. O membro espera pães e peixes; o discípulo é um pescador. (Mateus 4:19)

2. O membro luta por crescer; o discípulo luta para reproduzir-se. (João 15:8)

3. O membro faz apenas o necessário para ser aceito como membro, o discípulo empenha todas as suas forças em cumprir a missão que recebeu do Senhor (Eclesiastes 9:10)

4. O membro depende dos afagos de seu pastor; e quer ser servido, o discípulo está determinado a servir a Deus e ao próximo. (Salmos 100:2).

5. O membro gosta de elogios; o discípulo do sacrifício vivo. (Filipenses 2:17)

6. O membro entrega parte de suas finanças; o discípulo entrega toda a sua vida. (2 Coríntios 8:3-5).

7. O membro cai facilmente na rotina; o discípulo é um revolucionário e é renovado por Deus. (2 Coríntios 8:5).

8. O membro precisa ser sempre estimulado; o discípulo procura também estimular os outros. (1 Tessalonicenses 5:11).

9. O membro espera que alguém lhe diga o que fazer; o discípulo é voluntário em assumir responsabilidades. (Isaías 6:8).

10. O membro reclama e murmura; o discípulo obedece e nega-se a si mesmo. (Hebreus 13:17).

11. O membro é condicionado pelas circunstâncias; o discípulo as aproveita para exercer a sua fé. (Salmos 125:1).

12. O membro exige que os outros o visitem; o discípulo visita. (Atos 20:35).

13. O membro busca na palavra promessas para a sua vida; o discípulo busca vida para receber as promessas da Palavra. (Josué 3:5).

14. O membro só pensa em si mesmo; o discípulo pensa nos outros. (Filipenses 2:4).

15. O membro se senta para adorar; o discípulo anda adorando. (Salmos 34:1).

16. O membro pertence a uma instituição; o discípulo é uma instituição em si mesmo. (1 Coríntios 3:16).

17. Para o membro, a habitação do Espírito Santo em si é sua meta; para o discípulo, é meio para alcançar a meta de ser testemunha viva de Cristo a toda criatura. (Atos 1:8).

18. O membro vale porque soma; o discípulo vale porque multiplica. (Gênesis 9:7).

19. Os membros aumentam a comunidade; os discípulos aumentam as comunidades. (1 Coríntios 16:19).

20. O membro espera milagres; os discípulos os fazem. (Atos 19:11).

21. O membro velho é problema para a igreja; o discípulo idoso é problema para o reino das trevas.(Lucas 2:52).

22. Os membros se destacam construindo templos; os discípulos se fazem para conquistar o mundo.(Marcos 16:15).

23. Os membros são fortes soldados defensores; os discípulos são invencíveis soldados invasores.(Josué 1:3).

24. O membro cuida das estacas de sua tenda; o discípulo desbrava e aumenta o seu território.(Isaías 54:2).

25. O membro se habitua; o discípulo rompe com os velhos moldes.(1 Coríntios 9:22).

26. O membro sonha com a igreja ideal; o discípulo se entrega para fazer uma igreja real.(Romanos 15.1,2).

27. A meta do membro é ir para o céu; a meta do discípulo é ganhar almas para povoar o céu.(1 Timóteo 2:4).

28. O membro maduro finalmente é um discípulo; o discípulo maduro assume os ministérios para o Corpo.(1 Tessalonicenses 4:10).

29. O membro necessita de festas e eventos para estar alegre; o discípulo vive em festa porque é alegre.(Salmos 45:7).

30. O membro espera um avivamento; o discípulo é parte dele.(Romanos 12:11).

31. O membro agoniza sem nunca morrer; o discípulo morre e ressuscita para dar vida a outros. (I João 3:16).

32. O membro longe de sua congregação lamenta por não estar em seu ambiente; o discípulo cria um ambiente para formar uma congregação.(2 Coríntios 2:14).

33. O membro carrega uma almofada; o discípulo uma cruz. (Lucas 14:27).

34. O membro se considera sócio da Igreja; o discípulo é servo;(Romanos 6:19).

35. O membro cai nas ciladas do diabo; o discípulo as supera e não se deixa confundir.(1 Pedro 5:8).

36. O membro é espiga murcha; o discípulo é grão que gera espigas saudáveis.(Marcos 4:8).

37. O membro responde talvez! O discípulo responde eis-me aqui.(1 Coríntios 15:58) .

38. O membro preocupa-se só em pregar o evangelho; o discípulo em pregar e fazer discípulos.(2 Timóteo 2:2).

39. O membro espera recompensa para dar; o discípulo é recompensado porque dá.(Gálatas 6:7).

40. O membro passa a vida toda sendo pastoreado como ovelha; o discípulo apascenta os cordeiros.(João 21:17).

41. O membro se retira quando incomodado; o discípulo expulsa quem realmente quer incomodá-lo: os demônios.(Hebreus 10:25).

42. O membro leva a vida a pedir que os outros orem por ele; o discípulo ora pelos outros.(Efésios 1:16).

43. Os membros se reúnem para buscar a presença do Senhor; o discípulo carrega a Sua presença através do Espírito Santo.(João 14:17) .

44. O membro segue tentando limpar-se para ser digno de Deus; o discípulo não se olha mais e faz a obra na fé de que Cristo já o limpou.(João 15:3).

45. O membro espera que alguém lhe interprete as escrituras; o discípulo conhece a voz de seu Senhor e testemunha dEle. (1 João 2:27).

46. Muitos membros não se relacionam com membros de outras denominações; o discípulo ama e respeita a todos, pois isto é uma ordem de Deus, e só assim o mundo o reconhecerá como discípulo de Jesus.(João 13:35).

47. O membro depende de conselhos e incentivo dos outros para tomar uma decisão; o discípulo ora a Deus, lê a Palavra e em fé toma a decisão.(Salmos 119:100).

48. O membro espera que o mundo melhore; o discípulo sabe que não é deste mundo e espera o encontro com seu Senhor.(João 17:14)

Observações:

Jesus nos mandou fazer membros ou discípulos?

Todo discípulo é um crente, mas nem todo membro de igreja é um discípulo.

No mundo existem muitos membros de igreja, mas os discípulos de Jesus são os que realmente fazem a diferença.

Nosso alvo é que todo membro seja um discípulo e que cada discípulo se torne um discipulador, é discípulo fazendo discípulo, só assim o evangelho será pregado em todo o mundo.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

MAR VIVO OU MAR MORTO (GN12.2)

Existem dois mares na Palestina.

Um é saudável e fecundo -- o Mar da Galiléia.

O outro, amargo e estéril -- o Mar Morto.

Qual a diferença entre os dois?

O Mar da Galiléia recebe e dá.

O Mar Morto só recebe -- Não tem nenhuma saída.

A qual dos dois mares se assemelha a nossa vida espiritual?

Qual dos dois caracteriza o nosso relacionamento com o Senhor Jesus?

Temos sido um canal de bênçãos, compartilhando tudo o que recebemos de Deus com aqueles que estão à nossa volta ou temos o costume de guardar para nós aquilo que recebemos do Senhor?

O Mar da Galiléia foi palco de grandes acontecimentos.

Ali Jesus falava aos discípulos; ali vidas foram transformadas; ali os corações se encheram de júbilo; ali muitos foram chamados a um ministério glorioso; ali os milagres aconteceram.

O Mar Morto nada apresentou.

Ali não havia gozo, não havia refrigério, não havia motivação, não havia felicidade.

Temos nos apresentado diante de Deus como o Mar da Galiléia?

Temos procurado iluminar o caminho por onde andamos?

Temos testificado, com alegria, de tudo o que temos experimentado na presença do Senhor?

Temos repartido todas as maravilhas que o Senhor tem derramado em nossas vidas e em nossa casa?

As águas que têm banhado nossos terrenos, agora férteis, têm sido conduzidas aos terrenos áridos daqueles que não tiveram ainda as mesmas experiências e que anseiam por dias melhores e mais felizes?

Quando somos abençoados e não abençoamos, perdemos a paz, o prazer, o estímulo e a felicidade.

Somos águas paradas, como charcos e pântanos.

A bênção é perdida e os milagres são anulados.


Sua vida tem sido um mar de bênçãos? Ou um mar amargo e sem nenhuma vida?

UM MANÁ DIÁRIO (Nm 11.9)

Ben Jochai estava ensinando a um grupo de alunos sobre o milagre do maná quando Israel estava caminhando do Egito até a terra prometida.

Um dos alunos perguntou: "Por que o Senhor Deus não fornecia a Israel uma quantidade de maná suficiente para durar o ano inteiro?"

O professor disse: "Eu lhe responderei com uma parábola.

Certa vez um homem rico prometeu a seu filho uma mesada anual.

Todo ano, no mesmo dia, ele daria ao filho todo o valor.

Depois de certo tempo, o pai só via o filho no dia em que este vinha pegar
sua mesada.

Então o pai mudou seu plano e só dava ao filho o suficiente para um dia.

Este retornaria no dia seguinte para buscar novamente sua mesada.

“Daquele dia em diante o pai via seu filho todos os dias”.

Esta é a maneira como Deus lidava com Israel.

Esta é a maneira como Ele lida conosco.

Com que freqüência temos buscado o nosso Pai celestial?

Quantas vezes temos ido à Sua presença?

Apenas lembramos do Senhor quando estamos necessitando de algo ou, como filhos
que amam ao Pai, temos estado com Ele em todos os momentos.

Deus tem bênçãos para nós todos os dias, todas as horas, todos os minutos.

Ele está sempre pronto a nos dar a verdadeira alegria e o Seu amor é inigualável.

Nele nos sentimos protegidos, temos a confiança na realização de cada sonho e, em todas as batalhas, somos mais do que vencedores.

Se nos sentimos fracos, ele tem o maná da Sua força.

Se nos sentimos fracassados, Ele tem o maná do sucesso.

Se parece que estamos em um deserto, Ele manda o maná do Céu para nosso refrigério.

Cada dia o Senhor tem preparado um maná especial para a nossa felicidade.

domingo, 14 de agosto de 2011

FRASES NOTÁVEIS A RESPEITO DA BÍBLIA

ABRÃAO LINCON: O 16º Presidente dos Estados Unidos em 1860. "Creio que a Bíblia é o melhor presente que Deus já deu ao homem. Todo o bem, da parte do Salvador do mundo, nos é transmitido mediante este livro".

W.E. GLADSTONE: foi um grande homem do século 19 da política britânica. Foi o líder do partido liberal e Primeiro-Ministro em quatro governos, de 1868 até 1894.

" Eu conheci 95 grandes homens de minha geração, e destes 87 eram seguidores da Bíblia. A Bíblia foi impressa com uma originalidade tão especial e uma incontável distância a separa de todos ou outros livros que competem com ela."

GEORGE WASHINGTON: um dos fundadores e primeiro presidente na história dos Estados Unidos da América.

"É impossível governar direito o mundo sem Deus e a Bíblia"

NAPOLEÃO: Militar, estadista imperador dos Franceses Trata-se de um verdadeiro mito formado pela História que, mesmo após mais de 200 anos de existência, continua sendo reverenciado pelo mundo inteiro. Napoleão foi capaz de ganhar inúmeras batalhas com soldados menos preparados do que os de seu adversário graças à motivação e à iniciativa desenvolvidas por ele.

"A Bíblia não é um mero livro, mas uma criatura viva, com um poder que conquista aqueles que se opõem a ela"

DANIEL WEBSTER: Dotado de prodigiosa memória, desde jovem dedicou-se ao estudo das letras clássicas, com especial atenção aos oradores da antiguidade. Lia e decorava Cícero, completamente embevecido, para depois declamá-lo. Ainda moço, começou a revelar-se um prodigioso orador. Formou-se em Direito, iniciando uma triunfal carreira nos Tribunais norte-americanos. Rapidamente obteve a celebridade e passou a ser citado como exemplo de eloqüência judiciária. Logo o povo norte-americano levou-o para o Congresso, e daí como secretário de Estado dos presidentes Harrison e Tyler. A sua atividade política, de 1813 a 1852, foi febricitante, agitada o tormentosa. Era, portanto, um orador com possibilidades extraordinárias.A sua glória permanece intocável, sendo um dos nomes veneráveis nos EUA. Um grande advogado da unidade política norte - americana!

"Se há qualquer coisa em pensamentos ou estilo para recomendar, o crédito é devido aos meus pais por inculcar em mim, desde cedo, amor pelas Escrituras Sagradas [A Bíblia]." "Se nós nos firmarmos nos princípios ensinados na Bíblia, nosso país irá continuamente prosperando, mas se nós e a nossa posteridade negligenciarmos a instrução e a autoridade da Bíblia, nenhum homem poderá prever a catástrofe repentina que irá nos oprimir e sepultar nossa glória na mais profunda obscuridade".

THOMAS CARLYLE: historiador escocês, crítico e escritor especializado em sociologia.

"A Bíblia é o mais verdadeiro modo de falar que já veio por letras alfabéticas para alma do homem, a qual, como através de uma janela divinamente aberta, todo homem poder olhar para dentro da paz da eternidade, e discernir em vislumbres sua distante e longamente esquecida casa [celestial]."

THOMAS HUXLEY: Conhecido como "Buldogue de Darwin" foi um dos primeiros e mais ardorosos defensores e críticos da Teoria da Evolução por seleção natural proposto por C. Darwin.

"A Bíblia tem sido a Carta Magna dos pobres e oprimidos. A raça humana não está em uma posição que pode dispensá-la".

W. H. SEWARD: Senador americano pelo Estado de nova York, conhecido pela sua posição anti-escravagista. Foi um lider do novo partido republicano, desde o início do mesmo. Concorreu para ser presidente dos EEUU, mas a sua nomeação foi preterida em favor da de Abraão Lincoln. Mesmo assim, foi Scretário de Estado de Lincoln por oito anos.

"A inteira esperança do progresso humano está em depender do cultivo continua da influência da Bíblia."

PATRICK HENRY: Símbolo da luta Americana pela liberdade, foi congressista e por três vezes governador do Estado da Virgínia, autor da famosa frase: 'Dê-me a liberdade ou a morte'"

"A Bíblia é o mais valoroso entre todos os livros que já foram impressos".

ANDREW JACKSON: Em 1828, foi eleito para a presidência dos Estados Unidos, um rude fronteiriço, um plantador e general de milícia que fizera sua fama lutando contra índios e contra ingleses, com ele começava uma nova história na vida da democracia americana - a democracia jacksoniana.

"Aquele livro senhor, é a rocha sobre a qual repousa a nossa República"

ROBERT E. LEE: General - Chefe das forças do Sul na Guerra de Secessão , também chamada de Guerra Civil Americana.

"Em todas as minha perplexidades e angustias a Bíblia nunca tem falhado em me dar luz e força"

LORD TENNYSON: poeta inglês.

"A leitura da Bíblia é uma educação em si mesma"


HORACE GREELEY: célebre jornalista de Nova Iorque, posteriormente candidato à presidência dos EUA.

"É impossível escravizar mental ou socialmente um povo que ler a Bíblia. Os princípios da Bíblia são a base da liberdade humana"

JOHN QUINCY ADAMS: 6º.Presidente dos Estados Unidos (1825-1829) nascido em Braintree, hoje Quincy, Massachusetts, ficou na história da nação como diplomata de atuação decisiva na segunda guerra da Independência e na elaboração da Doutrina Monroe, além de um dos maiores inimigos da escravidão em seu país. Filho de John Adams, segundo presidente dos Estados Unidos, estudou na França e nos Países Baixos, depois em Harvard, onde se formou em direito (1787).

"Tão grande é minha veneração que o mais cedo que meus filhos comecem a lê-la, maior é a minha confiança na esperança de que eles serão cidadãos úteis e respeitáveis".

IMMANUEL KANT: foi um dos mais importantes e influentes filósofos da modernidade. Seus estudos e ensinamentos nos campos da Metafísica, Epistemologia, Ética e Estética tiveram grande impacto sobre a maioria dos movimentos filosóficos posteriores.

"A existência da Bíblia, como um livro para o povo é o grande benefício que a raça humana já tem experimentado. Toda tentativa para menosprezar a Bíblia é um crime contra a humanidade".


CHARLES DICKENS: escritor inglês.

" Novo Testamento é o melhor livro que já foi ou será escrito no mundo".

SIR WILLIAM HERSCHEL: astrônomo inglês que descobriu Urano e catalogou mais de 1800 estrelas duplas e 2.500 nebulosas.

"Toda descoberta humana parece ser feita somente para o propósito de conformar-se mais e mais poderosamente com as verdades contidas nas Sagradas Escrituras".

SIR ISAAC NEWTON: físico, matemático e astrônomo inglês.

"Existem mais marcas seguras de autencidade na Bíblia do que em qualquer história profana."